É disso que o Brasil precisa, Magalu.

“A ação do Magazine Luiza de realizar um programa de trainees negros é um salto objetivo e concreto, que produz uma intervenção pioneira e de vanguarda no combate ao racismo estrutural, promovendo e fortalecendo a diversidade e a igualdade de oportunidades no ambiente empresarial.

Além de construir um novo paradigma nesse tema, irá pautar, desafiar e estimular todo o ambiente corporativo a construir ações inovadoras e concretas para superar o verdadeiro estado de apartheid racial presente nos postos gerenciais e executivos das empresas nacionais e multinacionais do país. 

É um gesto de apreço e consideração aos negros brasileiros, um esforço republicano de fortalecimento da democracia, combate às desigualdades e , sobretudo, valorização da dignidade humana.

É digno de reconhecimento, aplauso e defesa por todos nós e todos os brasileiros.

Queremos construir e respirar o ar de um país em que todos tenham iguais oportunidades, independentemente da raça ou cor de pele.”

Hoje, a Iniciativa Empresarial pela Igualdade se posicionou em defesa do programa de ações afirmativas promovido pelo Magazine Luiza, com uma publicação de página inteira na Folha de S.Paulo. Dentre as mais de 73 organizações que vieram a público, está o Instituto Nelson Wilians (INW), braço de ações sociais do Grupo Nelson Wilians, que têm se posicionado de forma concreta contra o racismo e na busca pela promoção da diversidade étnico-racial.


Tags: