400 educadores sociais receberão curso sobre violência contra crianças e adolescentes

No mês de janeiro o INW passou a apoiar financeiramente o projeto “Educando para a Paz”, desenvolvido pela Organização Social Núcleo Espiral que trabalha no combate à violência contra crianças e adolescentes a mais de 13 anos.  

O objetivo do projeto é capacitar educadores dos serviços socioassistenciais para atuar na assistência e prevenção da violência doméstica contra crianças e adolescentes, abordando temas como, o ciclo da violência, auxílio na criação de mecanismos seguros de denúncia, reconhecimento dos diferentes tipos de violência e suas consequências, acolhimento, resiliência e entre outros temas que habilitam profissionais a estarem preparados para  este contexto. 

O “Educando para a Paz” acontecerá até o mês de julho, serão 400 beneficiários diretos, entre eles, educadores, técnicos e gestores de instituições socioeducativas. Para o coordenador do projeto, Lucas Labaki, a iniciativa partiu de uma necessidade de fortalecer a rede de apoio socioassistencial de crianças e adolescentes, de modo a se prevenir a violência doméstica contra esta população, evitando, assim, que ela se perpetue no chamado “ciclo de violência”.

“O Núcleo Espiral entende que, para se prevenir a violência contra crianças e adolescentes, é necessário trabalhar toda a sua rede de apoio, e foi isso que motivou o desenvolvimento desta capacitação. Deste modo, o impacto que o projeto Educando para a Paz é bastante significativo e é extremamente gratificante ver as devolutivas que estamos recebendo dos participantes, que nos mostram que o curso está alcançando o efeito desejado. Se cada educador que participa dos encontros incorporar os temas do curso em seu trabalho, diversas crianças em toda a cidade de São Paulo, poderão ser beneficiadas, minimizando a violência e suas consequências.” ressalta Lucas Labaki, coordenador do projeto. 

Infelizmente a violência contra crianças e adolescentes é uma grave realidade que se tornou ainda mais delicada no atual contexto da pandemia. Conforme as análises de Marco Gama, presidente do Departamento Científico de Segurança da SBP, em 2018 mais de 60% das agressões registradas ocorreram nas residências, o que pode ser agravado durante a pandemia considerando que devido o confinamento as crianças, jovens e adolescentes podem estar em maior contato com potencial agressores, para além de perderem a rede de sociabilidade a exemplo de escolas, Organizações Sociais, amigos ou vizinhos que poderiam prestar algum apoio. 

Portanto, para o INW, estar engajado nessa luta movendo esforços para promover segurança e auxílio para essa população é uma ação fundamental de combate à violência, esse é o espírito da parceria com o Núcleo Espiral. 

“Apoiar iniciativas que atuam na prevenção e combate à violência contra crianças e adolescentes é lutar por um presente e futuro melhores, é agir na defesa da Justiça Social. Nós apostamos na educação como um lugar estratégico para o combate a esse tipo de violência. Portanto, é uma honra poder fazer parte desse movimento por uma sociedade mais justa e menos violenta”, ressalta Dra. Anne Wilians, CEO do INW. 

Tags: